2 ações japonesas para comprar e seguir Buffet

acoes japao

John Templeton, grande gestor de investimentos, começou sua famosa carreira de seleção de ações globais recolhendo ações japonesas ignoradas na década de 1960.

Já na década de 1980, quando muitos pensavam que o Japão era uma força econômica imparável, seu mercado de ações apresentava um retorno médio anual de 36%.

Então a bolha estourou e o mercado de ações do Japão foi, na melhor das hipóteses, um espetáculo secundário, mostrando alguma força e, em seguida, voltando ao segundo plano.

Assim, o índice de referência do Japão, o TOPIX (abreviatura de “Tokyo Stock Price Index”), ainda está cerca de 40% abaixo de seu pico de 1989. O TOPIX cresceu apenas 12% nos últimos cinco anos, contra um aumento de 76% para o S&P 500.

As novas investidas de Warren Buffet

Recentemente, no entanto, Warren Buffett fez sucesso ao anunciar um investimento considerável em cinco ações japonesas de primeira linha:

É possível que Buffett esteja comprando ações japonesas porque elas estão sendo negociadas a preços de banana.

O índice TOPIX negocia por menos de 15 vezes os lucros, em comparação com uma relação preço / lucro de cerca de 21 vezes para o S&P 500. Além disso, o TOPIX negocia por 1,2 vezes o valor do livro, contra 3,9 vezes para o S&P.

Portanto, é provável que o Japão ofereça aos investidores menor risco de queda do que os queridinhos da alta tecnologia na América.

Sendo o maior investidor em valor do mundo, Buffet certamente teve seus cálculos afetados. Finalmente, com o dólar americano enfraquecendo nos últimos meses, Buffett aposta que essa tendência continuará.

Você pode, por exemplo, pegar carona na ideia de Buffett e talvez tenha a oportunidade de se sair ainda melhor do que o “Oráculo de Omaha”, considerando duas ideias de ações japonesas que estão fora do radar da maioria dos investidores:

1) Rakuten – A Amazon do Japão

rakuten

A Rakuten é um conglomerado bem diversificado com tentáculos em todo o Japão e tem muito espaço para expansão internacional.

Muitos de vocês podem não ter ouvido falar da Rakuten, mas garanto que muito poucos japoneses não fazem parte de seu ecossistema de várias maneiras.

Atualmente o programa de fidelidade da Rakuten possui mais de 100 milhões de inscritos, assim ele é o serviço de Internet nº 1 do Japão, cartão de crédito nº 1 e uma das principais plataformas de viagens do país.

O principal negócio da Rakuten é ser uma plataforma de vendas pela Internet semelhante à Amazon.

A participação de mercado da empresa no Japão é de cerca de 25% – quase igual à participação de mercado da Amazon nos EUA. Em seguida, vem o Yahoo Japão, com cerca de 15%.

A Rakuten já possui um grande número de sites em nuvem de e-commerce construídos com conexões de fibra de alta velocidade no Japão.

Isso oferece à empresa recursos de expansão natural em redes móveis virtuais e 5G.

Se for bem-sucedido, esse investimento colocará a Rakuten em uma posição forte nas telecomunicações japonesas. Construir uma rede 5G normalmente envolveria grandes investimentos. Felizmente, a Rakuten pode contornar isso por causa de sua infraestrutura já existente no Japão.

Em suma, a Rakuten é um conglomerado em crescimento com vários fatores e um balanço patrimonial excelente, com caixa e investimentos de curto prazo no valor de aproximadamente US$ 12,5 bilhões.

2) Fanuc – Onde robôs fazem robôs

fanuc japao

A Fanuc foi a primeira empresa do mundo a automatizar uma fábrica por inteiro. Isso mesmo: sem humanos, somente robôs trabalhando, 24 horas por dia, sem nenhuma supervisão.

Embora você provavelmente já tenha visto uma infinidade de histórias sobre a ascensão de robôs na manufatura, bem como na vida cotidiana, você pode não estar ciente de Fanuc (FANUY), uma empresa japonesa com dívida zero, uma excelente reputação e um passado histórico .

Com sede na sombra do Monte Fuji, a Fanuc é a fabricante líder mundial de dispositivos de controle numérico computadorizado (CNC) que são usados ​​em máquinas-ferramentas e também servem como “cérebros” de robôs industriais. Fanuc afirma ser a única empresa que usa robôs para fazer robôs.

Fanuc, cujo nome é uma sigla para Fuji Automatic Numerical Control, é líder mundial em robótica desde o início dos anos 1970. Foi fundada como uma subsidiária integral da Fujitsu em 1955, depois que a gigante da eletrônica decidiu entrar no negócio de automação de fábrica. Hoje a Fanuc é tão global quanto possível, com mais de 240 joint ventures e escritórios em 46 países, com uma participação de 65% no mercado mundial.

A Fanuc deve se beneficiar da forte demanda dos mercados desenvolvidos, bem como da China, à medida de que os fabricantes procuram robôs para aumentar a produtividade.

Você pode encontrar robôs Fanuc em depósitos da Amazon, bem como no chão de fábrica da General Motors. Por exemplo, o uso de robôs industriais permitiu que empresas como a Panasonic gerissem fábricas que produzem 2 milhões de aparelhos de televisão de plasma por mês com apenas 25 funcionários.

Por fim, a Fanuc oferece aos investidores um balanço patrimonial imaculado, com dívida zero e volumosos US$ 7 bilhões em caixa.

É possível comprar ambas as ações via mercado americano, mas OTC. No entanto, algumas corretoras podem limitar o acesso a esses mercados. Procure se informar com a sua corretora.

Por fim vale lembrar que diversificação regional é peça fundamental para se ter um portfolio bem equilibrado. Hoje em dia os mercados internacionais já são acessíveis a brasileiros. Veja as melhores corretoras internacionais aqui.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *