A economia americana está com tudo e ações “tradicionais” voltam a radar

Atualmente, as previsões para a retomada da economia americana estão muito otimistas, por isso muitos investidores já pensam em voltar para o antigo normal.

A pandemia do Coronavírus foi a pior coisa que poderia acontecer para economia mundial. A crise afetou drasticamente as relações econômicas, afinal as restrições de circulações afetaram tudo. Todos os setores de produção foram atingidos e impactados de alguma maneira.

Assim, as medidas tomadas para conter o vírus, afetaram e muito a economia do planeta. Vários países atingiram níveis de desemprego comparáveis aos períodos de guerra. A crise foi de uma magnitude inimaginável.

O “novo normal” como ficou popularizado no Brasil, parecia ter vindo para ficar, uma vida cheia de restrições sanitárias e de circulação. Afinal, antes da crise, quem imaginaria ser possível ficar meses em casa? E foi exatamente o que ocorreu com grande parte da força de trabalho ao redor do mundo, o lockdown foi severo em muitos países, porém necessário.

Por outro lado, alguns países que adotaram medidas mais efetivas de controle, estão começando a colher os frutos de uma boa gestão.

A recuperação americana

Os EUA sofreram bastante durante a crise. E assim não foi surpresa quando a maior economia do planeta atingia as maiores marcas de morte e infecção pelo vírus.

A nação nesse período ainda convivia com as declarações de seu excêntrico agora ex-presidente Donald Trump, alegando que a dimensão da pandemia era menor que a realidade.

Contudo, o país conseguiu dar uma verdadeira reviravolta. Os desenvolvimentos de vacinas finalmente veio, e a nação americana esteve bem presente, investindo no processo e garantindo a compra de doses para a sua população.

Assim, a economia americana volta a atrair os olhos dos investidores, com planejamento e execução, a nação caminha a passos largos para “normalidade”.

A atenção dos investidores

Com a volta dos serviços menos “essenciais” a economia volta a girar em sua escala padrão, e isso é visto pelas movimentações dos investidores.

Não há muito tempo, empresas de setores como aviação e imobiliário estavam correndo atrás de empréstimos para não “quebrarem” durante a pandemia. Agora a situação já está um pouco diferente, onde os investidores correm para “emprestar” dinheiros a essas empresas e captar os lucros da nova crescente desses setores.

As empresas mais afetadas pela crise, apresentam agora valores de mercado atrativos.

E se tornam opções extremamente atrativas, afinal o sistema de negócio das empresas não está quebrado.

Na maioria dos casos, não vão entrar em default, não se tornarão de alto rendimento e seus modelos de negócios não estão fundamentalmente quebrados.”

Andreas Michalitsianos, gestor da JPMorgan Asset Management.

As empresas de lazer e de viagem enfrentaram problemas parecidos, precisando de linhas créditos para conseguirem se manter. Assim, no ano passado, empresas captaram mais de US$ 430 bilhões em novos empréstimos globalmente e usaram pelo menos US$ 340 bilhões em linhas de crédito existentes para enfrentar a pandemia.

Por fim, não deixe de conferir a razão de a economia americana estar se recuperando rapidamente. Basta clicar aqui.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *