Ações Airbnb Nasdaq: vale a pena investir? Veja analise

AirBnB

Você conhece as ações da Airbnb? A companhia americana foi um fenômeno no mercado durante a realização de seu IPO, no entanto, as ações da companhia acabaram perdendo o brilho durante a pandemia covid-19. Afinal, a empresa atua em um setor diretamente relacionado com o setor de turismo, e graças as medidas restritivas enfrentadas pela pandemia estas ações saíram do foco dos investidores.

Contudo, com o avanço das vacinações, a esperança de uma retomada da economia está cada vez mais animando os investidores. Portanto, será que agora é o momento ideal para investir nas ações da Airbnb? Confira agora a análise completa!

Você conhece a Airbnb?

Primeiramente, antes de decorrermos as informações referentes aos principais detalhes das ações da Airbnb, temos que fazer a seguinte pergunta: você conhece as ações da Airbnb?

A Airbnb surge em 2008, e como toda boa start-up que se preze, ela surge para tentar solucionar um problema que ainda não está sendo — ou está mal — abastecido pelas grandes companhias do mercado.

O mercado que a Airbnb, é amplamente ocupado por milhares de empresas ao redor do mundo: o turismo. Mas como a companhia conquistou market share neste mercado tão disputado mundialmente?

A estratégia de mercado da companhia é uma verdadeira máquina de fazer dinheiro. Afinal, através deste método, o Airbnb consegue atuar de forma competitiva no setor hoteleiro, e mantendo um custo infinitamente inferior aos seus principais concorrentes.

A Airbnb atua como uma mediadora de aluguéis de casas e quartos. Assim, a companhia faz a ligação entre consumidores, interessados em alugar quartos, casas, apartamentos, seja este pelos mais variados motivos, a seus respectivos locatários. Ou seja, pessoas físicas que tem interesse em alugar suas residências (sejam elas quais forem) com o intuito de conseguir gerar uma renda extra com o imóvel.

Como ela alcançou seu sucesso?

Desse modo, é fácil entender como este foi um casamento de sucesso. Afinal, pense no seguinte cenário: você tem uma casa de praia, por exemplo, em arraial do cabo, um famoso ponto turístico brasileiro. Você quer passar a alugar esta residência para férias de temporadas, no entanto, como você irá fazer esta divulgação? Atualmente, você pode tentar anunciar em redes sociais, cartazes e até mesmo no famoso boca-a-boca. Contudo, nenhuma destas medidas irá ter um impacto verdadeiramente significante nesta divulgação.

Agora pense nisso em 2008, onde o grande “boom” dos serviços online ainda não havia acontecido, como anunciar esta residência, ou olhando o ponto de vista dos clientes, como encontrar estas moradias? O Airbnb veio para suprir essa demanda, e supriu muito bem.

O surgimento da companhia

O Airbnb nasceu em 2008 durante um momento de dificuldade de seus fundadores. Dois estudantes, Brian Chesky e Joe Gebbia, moravam em São Francisco e não tinham dinheiro para pagar o aluguel.

A oportunidade surgiu quando estava tendo um evento de designers que quase completou a lotação dos hotéis da cidade.

Eles tiveram a ideia de alugar 3 colchões de ar no chão e oferecer café da manhã para os hóspedes. E então, fizeram um site simples (airbedandbreakfast.com) para anunciar a oferta.

Surpreendentemente apareceram 3 pessoas interessadas, com perfis totalmente diferentes: uma mulher de meia idade, um indiano e um pai de família. Cada um pagou U$ 80,00.

Após esse primeiro momento bem sucedido, eles perceberam que essa poderia ser uma grande ideia e convidaram um outro colega, Nathan Blecharczyk, como co-fundador para construir o site.

Já de posse do site eles fizeram o lançamento do mesmo no SXSW (um dos mais importantes festivais de tecnologia e economia criativa do mundo). E receberam um investimento de U$ 20.000,00 de Paul Graham (programador e investidor).

Nessa época, eles ganhavam U$ 200 por semana mas ficaram meses estagnados.

Até que tiveram a ideia de ir a Nova Iorque tirar fotos de casas que estivessem no site para alugar. Os rendimentos passaram para U$ 400,00 por semana.

Apresentaram, então, sua ideia para Fred Wilson, um dos mais renomados investidores do ramo de tecnologia dos Estados Unidos. Ele não acreditou no projeto e se recusou a investir no Airbnb.

Em contrapartida, o famoso cantor e compositor Barry Manilow alugou uma casa inteira através do Airbnb. A partir daí, foram conseguindo vários investidores, entre eles o ator Ashton Kutcher. No ano de 2014 o Airbnb já valia 10 bilhões de dólares.

O caminho para o IPO

Desse modo, a companhia começou a traçar a realização de seu IPO na bolsa de Nasdaq, a principal bolsa de valores dos Estados Unidos.

Primeiramente, vamos definir o que é um IPO. Esta sigla, representa a seguinte frase em inglês: Initial Public Offering. Ou seja, em uma tradução literal para o português, seria algo como oferta publica inicial. Quando uma empresa decide dar o passo de deixar a definição de companhia limitada (LTD) para sociedade anônima (S.A), o método que é usado como ferramenta desta mudança é o IPO.

Assim, a empresa lista suas ações em uma bolsa de valores, e desse modo, suas ações estão disponíveis publicamente — e deste ponto vem o nome da operação.

Voltando o foco ao Airbnb, a empresa teve especulações relacionadas ao seu processo de IPO durante muito tempo. No entanto, o IPO da companhia somente sai do papel no final de dezembro do ano passado (2020).

O IPO da Airbnb, considerando apenas as negociações, foi um verdadeiro sucesso. Afinal, a empresa de aluguéis de imóveis conseguiu a impressionante marca de uma valorização de 113% em seus ativos apenas no primeiro dia de negociações. Ainda em abril de 2020, a companhia tinha um valor de mercado de cerca de US$ 18 bilhões. No entanto, com o IPO, o valor de mercado da empresa disparou fazendo a empresa de aluguel de residências por aplicativo valer US$ 47,3 bilhões.

O caminho do sucesso da Airbnb

Vale destacar, que estes números impressionam ainda mais pelo contexto. A companhia, como todos sabemos, atua em um cenário extremamente prejudicado pela pandemia, que é o setor de turismo.

E como tudo nessa vida, isto também tem uma explicação: a companhia viu muito de sua demanda aumentar pelos efeitos da pandemia.

Com o aumento das restrições derivadas da crise sanitária, e a adoção do home office ao redor do mundo, o Airbnb viu a oportunidade de atuar, arrendando casas mais afastadas dos centros urbanos:

“A maioria dos clientes da Airbnb alugou imóveis nela para evitar hotéis muito grandes e possíveis aglomerações. Além disso, com a adoção do home office, a empresa também notou que os aluguéis de longo prazo aumentaram muito”, explica João Piccioni, analista de investimentos e especialista em ações de empresas estrangeiras na Empiricus. “Muitas pessoas alugaram casas de temporada e curtiram férias em home office.”

O mercado não está alheio as tendências, e as ações dispararam, mas este foi o início dos verdadeiros problemas da companhia.

A Airbnb e a rentabilidade

Em geral, investidores não se importam em investir em valor, mesmo que isso signifique prejuízos a curto prazo. Um dos princípios do Growth Investing, é encontrar ações com alto potencial de crescimento a longo prazo. Afinal, essa é a estratégia de Warren Buffett, e ele não se tornou o maior investidor do mundo sem motivos.

No entanto, jogar seu dinheiro fora em um investimento não rentável é jogar seus investimentos no lixo, e mesmo com toda este potencial de mercado, a Airbnb não está dando lucros.

A maior parte da perda líquida do Airbnb vem de uma despesa não monetária: compensação baseada em ações. Para 2020, a empresa tinha mais de US$ 3 bilhões em compensação baseada em ações, mas isso foi anormalmente alto por causa de sua oferta pública inicial (IPO). Os IPOs causam um aumento único na compensação porque é reconhecido de uma só vez, em vez de gradualmente.

Compensação baseada em ações não é uma despesa operacional, então podemos colocá-la de lado para nossos propósitos aqui. No entanto, o Airbnb teve dinheiro negativo das operações em 2020, mesmo após o ajuste para essa despesa não monetária. por que?

De 2015 até o final de 2019, a receita do Airbnb aumentou cerca de cinco vezes. Durante esse tempo, a maioria das despesas operacionais aumentou cerca da mesma taxa, exceto uma: Produto e desenvolvimento (também conhecido como pesquisa e desenvolvimento ou P&D). Suas despesas de P&D aumentaram quase 10 vezes. E então, em 2020, este item de uma linha quase triplicou ano após ano para quase US $ 2,8 bilhões.

Veredito, as ações da empresa valem a pena?

O setor de Produto e desenvolvimento, pode se traduzir em investimento interno, então, em resumo, a Airbnb não tem boas taxas de lucros, por que pega seu excedente e reinveste na própria companhia. No entanto, não podemos dizer que é um investimento ruim.

A companhia vem fortalecendo sua marca, e já vem se tornado sinônimo de mercado. Como a Coca-Cola se tornou sinônimo de refrigerante, ou o Bombril com as lãs de aço.

Os consumidores sabem tudo sobre o Airbnb e o usaram para reservar mais de 193 milhões de noites e experiências na plataforma durante o ano passado.

No entanto, a plataforma ainda possui poucos “anfitriões de aluguel”, que são seus principais parceiros neste negócio. Contando com uma base de cerca de 4 milhões de locatários, muito dos investimentos da empresa, compõe a tentativa de trazer novos parceiros ao negócio.

Contudo, ainda é cedo para dizer que essa companhia será a Tesla das ações de turismo. A empresa ainda precisa mostrar a seus acionistas, que tem a capacidade de transformar seu potencial em lucro contábil e poder de geração de capital, para isso, as medidas atuais precisam dar certo.

Por fim, confira os problemas enfrentados pela companhia após o IPO clicando aqui!

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *