Ações Google Nasdaq e Bovespa: vale a pena investir?

Google

As ações da Google foram um verdadeiro fenômeno na bolsa de valores. A empresa foi um verdadeiro divisor de aguas, sendo pioneira das FANGs, as grandes empresas de tecnolgia da bolsa de valores americanas.

Contudo, vale a pena investir em ações da Google na Nasdaq, a bolsa america, e na Bovespa? A bolsa do Brasil? Confira!

A Google

A empresa praticamente dispensa apresentações. Afinal, tenho certeza que antes de entrar aqui no Investir Global, você digitou “ações americanas” na plataforma de pesquisa mais popular do mundo.

Atualmente, a plataforma é responsável por 70% das pesquisas feitas na internet ao redor de todo o planeta. Por isso, as ações da empresa tem popularidade ao redor de todo o planeta.

A história da companhia

Primeiramente, A história do Google começou em 1996, quando era um programa de doutorado na Universidade de Stanford.

Os alunos de doutorado Larry Page e Sergey Brin estavam tentando criar um mecanismo de pesquisa ligeiramente diferente do Yahoo, o mecanismo de pesquisa mais usado até então. Page e Brin esperavam que os resultados seriam baseados na relação do utilizador com a página que ele visita e na quantidade de link.

gettyimages
Larry Page e Sergey Brin, fundadores do Google.

Como toda start-up que se preze, a empresa funcionava, então, em uma garagem de casa na Califórnia. Detalhe: a dona da casa era Susan Wojcicki, hoje diretora-executiva do Youtube, uma das empresas do conglomerado Alphabet. Foi ela, inclusive, que incentivou a dupla Page e Brin a comprar o Youtube.

Em 2000, a empresa inicia seu principal método de monetização, que ainda hoje é carro-chefe da empresa: o Adwords.

A monetização acontece em forma de anúncios. Os links dos anunciantes são colocados em destaque na pesquisa com o uso de certas palavras-chave.

A listagem em bolsa

Assim, com um sistema consolidado, a empresa realiza seu IPO (Initial Public Offering) em 2004, na bolsa de valores Nasdaq.

Primeiramente, ao contrário de outras empresas de tecnologia, o Google já era muito lucrativo quando abriu o seu capital, no ano de 2004. Para ter uma ideia, em 2003, a empresa já havia registrado receita superior a US$ 960 milhões, um lucro de US$ 107 milhões no mesmo período.

Mesmo assim, o preço do IPO trouxe dúvida para muitas pessoas. Inicialmente, esperava-se que os papéis tivessem o valor fixado entre US$ 108 e US$ 135. Ocorre que, no dia do IPO, as ações começaram a ser negociadas ao preço de US$ 85.

Porém, isso não durou muito tempo, e, já no primeiro dia de negociação, a cotação das suas ações superou os US$ 100.

A empresa conseguiu levantar, nesse movimento, cerca de US$ 1,9 bilhões. Atualmente, cada ação do Google, em muitos momentos, ultrapassa consideravelmente a barreira dos US$ 1 mil, fazendo com que o valor das ações tenha sido elevado mais de 20 vezes desde o seu lançamento.

Desde então, a empresa cresce em níveis astronômicos, se tornando uma das ações preferidas para os investidores ao redor do mundo.

A Alphabet

A partir de 2015, surge a Holding do Google, a Alphabet. A criação da holding serve para colocar pontos nos is, e separar a empresa de seus demais braços de atuação. Afinal, ao longo dos anos, a empresa se tornou uma das maiores e mais influentes empresas do mundo, e ampliou sua aerea de atuação a muito além de apenas um mecanismo de busca.

Assim, atualmente Alphabet é um grande conglomerado de empresas, com soluções de diferentes tipos, grande parte está relacionada com tecnologia, mas outros setores, como automotivo e de saúde, também fazem parte do grupo.

AdMob, DoubleClick, On2 Technologies, Picnik, Youtube, Zagat, Waze, Blogger, SlickLogin, Boston Dynamics, Bump, Nest Labs, DeepMind Technologies, WIMM Onee e VirusTotal… todas estas empresas pertecem ao Google.

A Alphabet é o guarda-chuva que congrega todas essas e mais Calico, Google Capital, Deep Mind, Google Fiber, GV, Jigsaw, Google Nest, Sidewalk Labs, Verily, Vevo, Waymo e X.

Vale a pena investir no google?

Se a empresa já era um verdadeiro gorila no meio da sala, com a pandemia, a empresa se tornou um “King Kong” no meio da sala. Os investidores adotam medidas cíclicas para proteger seus investimentos. Afinal, com restrições de circulação de pessoas, não vale a pena investir em turismo não é mesmo? Além disso, a pandemia fez o mundo virtual tomar uma nova proporção, com a explosão do e-commerce e atividades online. Não precisa ter um certificado de analista para entender que o Google nadou em braçadas largas no período não é mesmo?

 No terceiro trimestre de 2019, ele saltou de um lucro de 7,1 bilhões para 11,3 bilhões de dólares, totalizando um aumento de 59% em relação ao período anterior.

Em termos de valor de mercado, ou valuation, a empresa é avaliada em, aproximadamente, 110 bilhões de dólares, sendo uma das 50 mais valiosas do mundo, competindo o posto com outras big techs, como a Apple, Amazon, Microsoft e Netflix. Ou seja, o famoso grupo FANGs, composto pelas maiores empresas de tecnologia do mundo.

Screenshot

O desempenho da ação, conforme o gráfico mostra, representa a grande valorização da empresa. Afinal, o Google se tornou referencia de sucesso quando se trata de inovação e novas aplicações de tecnologia. E como todos sabemos, o mercado adora isso.

Por fim, já é claro que a empresa é uma das favoritas do mercado, com muitas razões e méritos, mas a iniciativa de comprar este ativo, no final da história, é sempre de você investidor.

Aqui no Investir global, preparamos apenas o que você precisa saber para auxiliar no processo de decisão. Assim, se você já fez a escolha de investir, como você pode investir em ações do Google?

As formas de investir em ações do Google

Primeiramente, é importante lembrar que a empresa é uma empresa estrangeira, por isso, naturalmente, não é uma bolsa nativa da nossa confiável Bovespa.

Algumas pessoas podem ter algum receio sobre investir no exterior, você pode conferir nosso post que explica algumas particularidades deste tipo de investimento clicando aqui.

Existem, duas formas diretas de se investir em um ativo estrangeiro no Brasil: Uma corretora estrangeira ou uma BDRs.

A corretora seria o método mais complicado. Contudo, existem sim, corretoras americanas que atuam no Brasil, e oferecem suporte técnico integralmente em português. Você pode conferir algumas corretoras americanas clicando aqui.

Com a corretora estrangeira, você investe diretamente na bolsa de valores dos EUA. Assim, evita certos problemas legais, além de estar diretamente exposto ao dólar.

No entanto, a partir de novembro do ano passado, a negociação de BDRs foi liberada para todos os investidores brasileiros. Assim, você só precisa de ter uma conta em alguma corretora para investir nos certificados de ações americanas.

Existem alguns pontos que diferenciam as BDRs do investimento direto no exterior. Você pode conferir mais sobre estes detalhes clicando aqui e conferindo nosso guia definitivo das BDRs.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *