Como Investir em Ouro e Prata em 2021: Guia Completo

ouro e prata

Investir em metais como ouro e prata é um desejo antigo da humanidade. Ainda hoje, estes metais, que eram a representação da acumulação de riqueza, são utilizados como ferramentas importantes no mundo dos investimentos. Mas como podemos investir em Prata e Ouro em 2021? Confira agora um guia completo.

Os metais e a economia

Ao longo da história humana, ouro e prata funcionaram como dinheiro devido à sua raridade e propriedades únicas. Afinal, Karl Marx em 1890, já definia o ouro como uma matéria de duplo-sentido, que atuava tanto como moeda universal e como matéria-prima. Portanto, os metais preciosos são um meio comprovado de troca, portátil, divisível, intercambiável, durável e valorizado em todo o mundo. É notável que civilizações humanas de diferentes épocas, culturas e geografias – todas valorizassem ouro e prata, embora tivessem crenças e modos de vida totalmente diferentes. Quase parece que o valor desses ativos está conectado ao nosso DNA.

Até 1971, todas as principais moedas eram apoiadas por reservas de ouro; no entanto, isso mudou sob o acordo de Bretton-Woods, que cortou a ligação entre as moedas fiduciárias e o ouro. Agora, o ouro e a prata são menos vistos como dinheiro e mais como uma opção de investimento para proteger o poder de compra e tendem a apresentar desempenho superior durante os períodos de alta inflação e fraco crescimento econômico. Além da demanda de investimento, há também demanda industrial por ouro e prata devido às suas propriedades antimicrobianas e capacidade de conduzir eletricidade.

O Ouro e a Prata

Com o passar dos anos, o ouro foi perdendo um pouco essa relevância no sistema econômico, e acabou entrando em um processo natural de regressão a uma “commodity”. Contudo, aquele metal que já foi o mais desejado do mundo ainda possui alguma relevância no mercado financeiro.

Apesar dessa “transformação social” o ativo continua a ser negociado atualmente. Seja em gramas, joias, barras, e até mesmo nas Bolsas de Valores.

Primeiramente, muito desse movimento de compra de ouro se dá pela sua estabilidade no mercado. O ouro – assim como a prata -, ao contrário da maioria das ações listadas em bolsa, tende a se manter estável em momentos de crise. Em outras palavras, uma série de fechamentos de empresas não afeta o preço desse ativo, enquanto na bolsa possa haver resultados desastrosos.

Se você ainda está se perguntando se vale a pena investir em ouro. O Investir Global já respondeu essa pergunta. Clique aqui para conferir.

O investimento nestes metais pode ser feito de muitas formas, direta e indiretamente. Contudo, antes de entrar nesse tema, é importante entender como estes metais estão se portando no mercado internacional.

A demanda por Ouro

Como a maioria das indústrias, o coronavírus diminuiu a demanda por ouro. Em 2020, a demanda total por ouro foi de 3.759 toneladas, uma redução de 14% em relação a 2019. Também marcou o primeiro ano em que a demanda caiu para menos de 4.000 toneladas desde 2009.

Assim, o ouro tem quatro fontes principais de demanda – investimento; joia; bancos centrais; e tecnologia, e aplicações industriais. A demanda de investimento representa a maior parcela, 46,7%. Notavelmente, essa demanda se fortaleceu em 2020 devido à redução das taxas do Federal Reserve, investidores em busca de segurança e preocupações de que o estímulo fiscal e monetário geraria inflação. Como resultado, a demanda por barras e moedas de ouro aumentou 10%, enquanto os ETFs de ouro, em uma base global, aumentaram suas participações em 877 toneladas.

Portanto, devido ao coronavírus, não é surpreendente que a demanda por joias tenha caído 13% para 515,6 toneladas no ano passado, à medida que os gastos com essas compras discricionárias diminuíram. No entanto, a demanda por joias deve ser maior que a média nos próximos dois anos devido à demanda reprimida pela queda no consumo deste ano. No total, as joias respondem por cerca de 39% da demanda de ouro.

As reservas cambiais e a tecnologia

Primeiramente, muitos bancos centrais mantêm ouro como parte de suas reservas, as quais mantêm diversificadas por meio de vários ativos e moedas. Em anos normais, as compras do banco central respondem por cerca de 9% da demanda de ouro. Em 2020, os bancos centrais compraram 279 toneladas, uma queda de 59% em relação a 2019. No entanto, em geral, os bancos centrais estavam preocupados em garantir que a liquidez fosse abundante para diminuir o risco sistêmico e manter o sistema bancário funcionando. Assim, os bancos centrais eram vendedores líquidos de ouro no primeiro semestre de 2020.

O principal componente final da demanda de ouro vem da indústria de tecnologia. O ouro é usado em uma variedade de dispositivos de tecnologia, pois é resistente à ferrugem e corrosão, o que o torna um ótimo condutor elétrico e usado em eletrônica e comunicações por satélite. Isso representa cerca de 8% da demanda de ouro. Em 2020, esta fonte de demanda de ouro caiu 7%, em grande parte devido a uma queda severa no segundo trimestre devido aos bloqueios. No entanto, as tendências são positivas, pois houve uma melhora significativa em uma base trimestre a trimestre.

A Prata na economia

Primeiramente, a prata tem uma participação muito maior na demanda industrial. Assim, em média, 55% da demanda de prata é para uso industrial devido à sua condutividade, maleabilidade e sensibilidade à luz. Desse modo, a prata é usada em áreas que estão crescendo rapidamente, como painéis solares, LEDs, telas e semicondutores. A demanda industrial por prata deve aumentar 9% em 2021, principalmente devido à forte recuperação econômica global.

26% da demanda vem de joias e talheres. Esse segmento também deve ter um bom desempenho nos próximos anos, pois se beneficia tangencialmente da reabertura da economia e da consequente liberação da demanda reprimida no último ano.

No entanto, somente 21% se devem à demanda de investimento, que inclui ETFs, moedas e ouro. Este segmento teve um forte aumento em 2020 devido aos investidores preocupados com a economia e os efeitos dos gastos de estímulo do governo. A prata é considerada uma proteção contra a inflação. Se essa tendência continuar, é provável que haja fluxos contínuos.

Como investir em Prata e Ouro?

Existem algumas maneiras de entrar no mundo dos investimentos em metais. Afinal, os metais estão sendo atualmente negociados em bolsa. Contudo, as opções mais populares são:

  • ETFs;
  • Ações relacionadas aos metais;
  • Mercado futuro;

Primeiramente, para negociar em bolsa é preciso de uma corretora para mediar estas negociações, sabendo disso, você pode começar a planejar o seu investimento.

Pela bolsa brasileira existem duas opções para investir em ouro:

O primeiro método possível é através do mercado futuro. Assim você pode investir em:

  • Lote Padrão de 250g: código OZ1D
  • Lote Fracionário de 10g: código OZ2D

Assim você pode comprar a grama do ouro em mercado futuro, basta procurar o ticker no HomeBroker de sua corretora. Contudo, é importante lembrar que este tipo de investimento futuro é extremamente especulativo, assim é recomendado apenas para compras e vendas em curto-médio prazo.

ouro

A segunda maneira é mais interessante para investimentos a longo prazo: fundos de investimentos.

GOLD11, o primeiro ETF de ouro no Brasil

Assim, para investir a longo prazo, os fundos de investimentos em ouro podem ser bem mais interessante. E graças a isso a XP disponibilizou no final do ano passado o primeiro ETF indexado ao ouro do Brasil.

Os ETFs (Exchange Traded Funds) podem ser considerados fundos de investimentos. Contudo, eles funcionam de maneira mais acessível e prática que um fundo imobiliário tradicional. Você pode conferir melhor como funciona estes fundos do exterior clicando aqui.

Assim o GOLD11 consegue captar todas as variações do ouro, com menos riscos e mais praticidades para o investidor.

O fundo está indexado ao ETF iShares Gold Trust, assim, o fundo servirá como um espelho do ETF americano aqui no Brasil. Por isso, o GOLD11 estará exposto às variações do dólar além do metal.

Investindo no Exterior

No mercado americano, existe uma verdadeira infinidade de maneiras de investir em prata e ouro. Contudo, podemos eleger as mais interessantes.

Primeiramente, existem centenas de ETFs que se expõem a esta categoria. No entanto, como já abordamos um ETF brasileiro, vamos focar nos investimentos indiretos.

O processo destes metais é extenso e custoso. Então, por que não investir diretamente na mineradora destes metais?

Confira na lista a seguir, algumas mineradoras e empresas diretamente ligadas a variação dessas commodities:

EmpresaTicker
Alamos Gold AGI
Yamana Gold AUY
Gold Fields Limited GFI
B2Gold CorpBTG
AngloGold Ashanti AU

Por fim, temos um guia de como investir no exterior e localizar essas empresas em sua carteira internacional. Clique aqui e confira como você pode começar a investir globalmente.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *