Criptomoedas são consideradas moedas “de verdade”? Entenda

criptomoedas

As criptomoedas vem conquistando cada vez mais popularidade na sociedade. Mas estas criptomoedas? realmente são moedas? entenda mais sobre o assunto agora mesmo.

Primeiramente, para entender se uma criptomoeda é uma moeda de verdade, você tem que entender o que é uma moeda não mesmo.

O que é moeda?

Em suma, uma moeda é um mecanismo de troca comum para uma sociedade, assim serve como meio de troca em qualquer tipo de transação que evolva valor.

Afinal, nos princípios da humanidade, as trocas ocorriam por escambo, produto por produto. Contudo, trocar itens de valores diferentes sem uma ferramenta de mediação e definição de valor pode ser uma tarefa complicada.

O famoso economista Jonh Maynard Keynes, define moeda em seu livro: a teoria geral do emprego, juros e da moeda (1936):

“A Moeda, especialmente por ser o elemento em que os contratos e contratos de preços são cancelados, e na forma em que o estoque de poder de compra geral é mantido, deriva seu caráter de sua relação com a unidade de conta, uma vez que os débitos e preços têm que ser primeiro denominados na forma deste último.”

Keynes, na teoria do emprego, juros e da moeda (1936)

Em outras palavras, segundo Keynes, uma moeda (para realmente ser caracterizada como uma moeda), deve ter dois pontos:

  • Aceitação;
  • Reserva de valor.

A aceitação é muito simples. Afinal, uma moeda que não for aceita por alguém não vale de nada. Por isso, é preciso que o consenso aceite esse mecanismo de troca.

Já a reserva de valor, implica que a moeda deve conseguir manter seu valor ao longo do tempo de uma forma que seja minimamente previsível.

Então, criptomoedas podem ser… moedas?

As cripto… moedas

As moedas digitais, de forma simplificada, são códigos de computador que podem ser trocados pela internet. Assim, estes códigos funcionam como meio de pagamento independentes. Assim, não possuem a interação direta com moedas, governos e bancos.

O surgimento destas criptomoedas acontece logo após a explosão da crise econômica do subprime em 2009. O momento foi bem favorável, afinal o mundo passava por uma crise graças a “implosão” do sistema bancário americano. Uma moeda sem relações com bancos mostrou potencial bem interessante.

O maior representante dessa nova classe com certeza é o Bitcoin. Assim, com o passar do tempo, a moeda virtual saiu do zero para valer mais de US$ 60 mil a unidade!

A diferenciação das criptomoedas

Mas existem algumas diferenças destas moedas para as tradicionais:

  1. Não podem ser sacados;
  2. Seu uso direto não é garantido;
  3. Criptomoedas possuem baixo custo de transação;
  4. Nenhum governo ou banco controla emissão;
  5. Transações são anônimas

Os dois primeiros tópicos já descreditam as moedas virtuais em comparação com o papel-moeda mais tradicional. Afinal a praticidade e a aceitação, funcionam como alguns dos pilares da caracterização de uma moeda. Por que ter uma moeda se não podemos sacar ou gastar? Isso implica que hoje as criptomoedas não podem existir de forma independente.

O terceiro tópico já não é mais um diferencial tão importante, afinal, as relações bancarias vêm se tornando mais rápidas e acessíveis, e a grande sacada das moedas virtuais, de transferências em tempo real e sem custos, hoje estão mais comuns. O Pix é um ótimo exemplo.

O quarto tópico, é o que as pessoas costumam dizer como principal vantagem das criptomoedas. Elas são escassas, ou seja, limitadas. Então a oferta é baixa e isto aumenta a valorização. Contudo, isso não é muito diferente de algumas commodities, como a prata e o ouro. Por isso acaba perdendo parte de seu brilho.

As transações anônimas também se destacam, contudo, esses mecanismos acabam atraindo mais pelo favorecimento de transações ilegais do que para o crescimento do valor da moeda. Causando muitos movimentos especulativos em cima deste ativo.

Uma criptomoeda, é uma moeda “de verdade”?

Considerando todas as informações, e as definições de moeda, voltamos ao que é necessário para uma moeda “ser” uma moeda: a aceitação e a criação de valor.

As criptomoedas já estão mais adequadas ao mercado atualmente, mas ainda falta muito para este ativo ser completamente disseminado como “moeda”. Uma moeda com poder virtual é importante no mundo digital, mas ainda vivemos em um mundo físico.

Já a reserva de valor, é a principal inimiga das criptomoedas como moedas. Uma moeda normal consegue manter seu valor (salvo exceções). Afinal, podemos praticamente afirmar que daqui a 5 anos, um dólar americano, valerá… 1 dólar americano. Mas podemos dizer que as criptomoedas manterão este valor? Estas moedas vêm crescendo de valor constantemente, mas a mesma volatilidade de crescimento, existe para uma queda.

É importante considerar que suas movimentações vêm de um mercado especulativo, e infelizmente, especulações não passam de especulações.

Por fim, recentemente o presidente do banco central americano, declarou sua opinião em relação as criptomoedas como reserva de valor. Clique aqui e confira agora os detalhes!

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *