Fabricantes de carros elétricos podem ter uma boa “dor de cabeça”

Carro elétrico

As empresas que fabricam carros elétricos devem encarar uma situação pouco agradável nos próximos meses.

A crescente demanda por baterias de carros elétricos fará com que os preços dos principais materiais que são utilizados para construção dessas baterias subam. Segundo analistas do Goldman Sachs em nota no dia 18 de março.

Isso, por sua vez, aumentará os preços das baterias em cerca de 18%, afetando o lucro total dos fabricantes de carros elétricos, uma vez que a bateria representa cerca de 20% a 40% do custo do veículo, afirmaram os analistas do Goldman.

Embora o relatório não fornecesse metas de preços específicas para as commodities, o modelo dos analistas previu que um retorno aos preços de pico históricos mais do que dobraria o custo do lítio para os fabricantes de baterias elétricas. O do cobalto também dobraria, enquanto o custo do níquel aumentaria 60%.

Um novo tipo de bateria

A disponibilidade limitada de níquel adequado para baterias de automóveis pode até acelerar a mudança para outro tipo de bateria chamado fosfato de ferro-lítio.

A Tesla e a chinesa Xpeng estão entre as montadoras que já usam esse tipo de bateria, que não usa níquel ou cobalto, mas armazena relativamente menos energia.

Se os preços do níquel atingirem sua alta histórica de US$ 50.000 por tonelada, isso pode adicionar US$ 1.250 a US$ 1.500 por veículo elétrico. Assim, podendo prejudicar a demanda do consumidor pelos carros, disseram os analistas.

Assim esses aumentos irão afetar diretamente o preço final do produto, e todos nós sabemos que preços maiores não atraem novos consumidores.

Em última análise, o crescimento da indústria de carros elétricos e a demanda por materiais para baterias dependem de quantos veículos as pessoas compram. Por isso, existe um ponto crítico para os consumidores mudarem de veículos movidos a combustível para carros elétricos. Esse ponto irá ocorrer quando o custo da bateria for atraente o suficiente.

Essa mudança pode acontecer na próxima década. Goldman prevê que os custos da bateria cairão abaixo dos dos motores de combustão interna até 2030.

Por fim, confira a ousada proposta da Volkswagen, que planeja dobrar o número de carros elétricos vendidos pela companhia ainda neste ano. Quer saber mais? Basta clicar aqui.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *