Investir nos EUA vale a pena agora? Veja vantagens e desvantagens

Investir nos EUA

Investir nos EUA é sempre uma dúvida para os investidores. Afinal, apesar de o mercado americano possuir as melhores oportunidades de investimentos do mundo, com a bolsa de valores mais madura existente, ainda é pouco convidativa para a maioria dos investidores brasileiros. Mas será que os benefícios do investimento nos EUA superam as desvantagens? Confira agora a resposta definitiva, e tome a decisão de levar seus investimentos para a terra do tio Sam.

Os Estados Unidos e o investimento

Os investimentos nos EUA, até pouco tempo atrás, era realmente algo além do cotidiano do brasileiro. As regulamentações exigiam dos investidores, muitas qualificações e uma renda extremamente elevada. Que convenhamos, não condiz com a realidade da grande maioria dos brasileiros.

No, entanto, as novas regras da CVM deixaram o processo de investir nos EUA, bem mais simples e acessível.

Além disso, quando se trata de investimentos, é muito importante lembrar que as condições de um país afetam diretamente em sua bolsa de valores.

O famoso conceito macroeconômico, demostra as relações econômicas com os grandes agentes econômicos, ou seja, países e estados. Afinal, você não concorda que, entre uma empresa de tecnologia argentina, e uma empresa chinesa, a maioria dos investidores optaria pela chinesa?

O peso de um país é determinante para fortalecer determinadas empresas, e neste quesito, ninguém bate os Estados Unidos.

Historicamente, o país tomou a dianteira da economia mundial após a Segunda Guerra Mundial, e apesar das competições, nunca perdeu esta liderança.

Portanto, se tornou a maior economia do mundo, e por consequência, desenvolveu algumas das maiores e melhores empresas do mercado. Além de, se estabilizar, trazendo segurança para as empresas, e, portanto, para nós investidores.

Além disso, os EUA tiveram uma ótima reação a pandemia sanitária causada pela Covid-19, promovendo pacotes de estímulos financeiros para cidadãos e empresas, além de manter uma elevada taxa de vacinação

Contudo, como tudo nessa vida, existe uma “faca de dois gumes”. Afinal nada é perfeito e investir nos EUA possui sim, suas vantagens e desvantagens.

O propósito deste texto, é desmitificar o investimento nos EUA, para assim, você poder determinar se este tipo de investimento, se enquadra em seu perfil.

Por que investir no exterior?

Diversificação

Uma das vantagens de manter parte do seu portfólio no exterior é manter a diversificação da carteira.

Não é de hoje que o Brasil sofre com problemas econômicos e políticos. Estes fatores afetam diretamente o mercado financeiro brasileiro e assim, seus investimentos! Logo, manter ativos estrangeiros irá aumentar a estabilidade da sua carteira.

A diversificação, provavelmente é a arma mais poderosa de uma carteira de investimentos. Afinal, como diz o jargão popular: Nunca aposte todos os ovos em uma mesma galinha.

A diversificação te protege de riscos cambiais, de riscos inflacionarios, impactos em empresas e impactos em setores.

Afinal, o que é melhor que manter sua carteira exposta as melhores ações a moeda mais estável do mundo?

Exposição ao dólar

Considerando o baixo valor do real em relação ao dólar, manter uma segunda moeda pode ser o incentivo a mais que você precisa para investir.

Além disso, o dólar americano, é a principal moeda do mundo. Sendo reserva de proteção cambial das maiores economias do mundo. Possuir seus investimentos em um mercado tão maduro e saudável é uma opção extremamente interessante para qualquer investidor, dos pequenos a até mesmo os grandes tubarões.

dólar

Ademais, o mercado americano conta com algumas das maiores empresas do mundo. Estas empresas possuem as melhores tecnologias e os melhores profissionais, o que lhes dá uma vantagem de crescimento em comparação as companhias brasileiras.

As opções de investimentos

Além disso, se considerarmos as principais bolsas de valores nos EUA (Nasdaq e NYSE), estamos falando de mais de 5.500 empresas para decidir onde investir.

Se a bolsa de valores do Brasil é um mar de investimentos, a bolsa americana seria um verdadeiro universo. Além das principais empresas americanas, a bolsa ainda possui muitos ADRs.

Assim, é possível investir em ações chinesas graças aos ADRs. Estes ADRs podem ser definidos como: American depositary receipts. Assim estes recibos funcionam como um certificado de depósito de um valor mobiliário.

Em outras palavras, estes recibos de depósito, representam nos EUA, um valor mobiliário emitido por
companhias de capital aberto, mas com sede no exterior (em geral, os papeis de ações de empresas).

Ou seja, um ADR, não é nada além de uma “ação” negociada na bolsa de valores dos EUA, mas que representa uma empresa de capital aberto com sede em algum outro país estrangeiro.

Assim, os ADRs funcionam exatamente como as BDRs aqui no Brasil. Entretanto, o mercado de ações americano é muito mais maduro. Assim, possui várias opções de ações de diferentes países.

Desse modo, através da Bolsa americana, você pode investir em ações na Índia, Alemanha, Inglaterra, China… Se existe uma bolsa de valores por aí, você consegue acessar por mediação da Wallstreet.

Os fundos de investimento

O mercado americano, está a anos luz na frente do brasileiro em um setor muito importante, os fundos de investimentos;

Os Exchange Traded funds (ETFs) compara-se a fundos de investimentos. Contudo, ao contrário de uma rodada de investimentos privada de uma corretora, um fundo ETF é negociado plenamente através da bolsa de valores.

Estes fundos trabalham com as mesmas propriedades de um fundo mais tradicional, criando uma determinada carteira de ativos pré-estabelecida por um gestor, seja ele um profissional independente ou uma corretora. Assim, o processo de investimento do fundo é feito através de cotas, assim, exatamente estas cotas negociadas representam o fundo na bolsa de valores.

Os então “cotistas” tem apenas como responsabilidade gerir as próprias cotas, e o desempenho da carteira do fundo é de responsabilidade da gestora. Assim claro, os rendimentos serão proporcionais as suas cotas, e existirão taxas de gerenciamento sobre os lucros aplicáveis do ETF.

Assim, os fundos ETF, tem como a sua característica principal “replicar índices”. Em outras palavras estes fundos podem copiar algum índice comparativo. Por exemplo, os principais índices do mercado financeiro americano: A Nasdaq, S&P 500 e o Dow Jones.

Estes índices, se compõem como “uma carteira imaginaria” incluindo as principais empresas da bolsa de valores. Por isso, podem ser usados como referência das atualizações do mercado financeiro.

Por isso, existem ETFs de praticamente qualquer coisa, focados em setores específicos como, por exemplo, energia sustentável, ou até mesmo ETFs com ações de Cannabis. O limite está na criatividade dos gestores, e os gestores americanos são realmente criativos.

Por fim, ainda vale citar os REITs, os fundos imobiliários.

Vale a Pena investir nos EUA?

Contudo, existem alguns pontos a destacar:

Existem algumas regulações a serem consideradas quando se trata de investir no exterior. E isto acaba assustando alguns investidores. No entanto, você pode conferir aqui no investir global, um guia explicando como você pode investir no exterior, e assim, evitar maiores dores de cabeça.

Então, clique aqui e confira agora!

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *