Ações da China: Aprenda a investir em Ações Chinesas do Brasil

China

A China é a principal economia emergente do mundo. Assim, as ações da China, que atualmente ocupa o posto de segunda maior economia do mundo, ficam em bastante visibilidade.

O país chegou a alcançar a incrível marca de 10% de crescimento anuais, e se tornou sinônimo de desenvolvimento econômico. Afinal muitos economistas citam esse fenômeno do desenvolvimento econômico como o milagre chinês.

Por isso, é esperado que muitos investidores que gostam de observar “fora da caixa” comecem a dar uma atenção especial para a economia chinesa. Sendo assim, como investir em Ações da China?

Por que ficar de olho na China?

A participação da economia chinesa na economia do globo chega a ser assustadoramente expressiva. Nas últimas duas décadas, desde a crise de subprime em 2008, a China sozinha, é responsável por quase 30% do crescimento do PIB mundial no período. Em outras palavras e usando termos comparativos, se somarmos a participação dos seguintes países: Estados Unidos (14,3%), Zona do Euro (7,6%), Reino Unido (1,9%) e Japão (2,1%), ainda não alcança a porcentagem chinesa.

O “milagre chinês” deve dar a China o posto de maior economia até 2030, segundo alguns especialistas.

A Bolsa de valores chinesa

A China possui atualmente 3 bolsas de valores distintas: Shanghai, Shenzhen e a mais popular, a de Hong Kong.

Vale lembrar que estas bolsas em geral, funcionam de forma bastante reclusa ao mercado e aos investidores chineses, com exceção da bolsa de Hong Kong, que geralmente é a mais popular entre as companhias chinesas para realizar seu IPO.

Assim estas 3 bolsas juntas, possuem um valor de mercado superior a US$ 10 trilhões, e esse valor expressivo não é sem motivos.

A economia chinesa vem se mostrando muito forte nos últimos anos. A China, apesar de seu o epicentro da crise do Coronavírus, conseguiu se recuperar economicamente de forma muito rápida. Por isso, foi a única das nações entre as grandes afetadas que conseguiu crescimento de seu PIB no ano de 2020, em cerca de 2%. Além disso, o país tem uma expectativa de crescimento para 2021 estipulado em 8,5%. Assim, as expectativas de que a China ultrapasse os Estados Unidos como a maior potência econômica do mundo continua bastante viva.

Muito dessa força econômica chinesa vem de suas características únicas. A nação atualmente conta com cerca de 1 bilhão de habitantes, assim, sendo o país mais populoso do mundo.

Em termos econômicos, uma grande população se traduz uma população economicamente ativa maior. Essa população ativa dá aos chineses a condição de ter uma das mãos de obra mais baratas do mundo, e assim, favorecendo suas indústrias internas.

Claro que esse fator pode ser bastante problemático, considerando que é bastante provável que nas próximas décadas a China tenha uma população mais envelhecida e perca um pouco desse poderio produtivo.

As empresas chinesas

Primeiramente, se torna óbvio que uma economia dessa magnitude, proporciona as empresas privadas grandes oportunidades de crescimento. Assim, o grande potencial das ações da China, fica ainda mais claro quando visualizamos algumas pesquisas, segundo a Forbes, das 10 maiores empresas de capital aberto do mundo, 5 delas são empresas chinesas.

Entre estas empresas, podemos destacar a maior empresa de capital aberto do mundo segundo pesquisa realizada pela Forbes:

ICBC

O Banco Industrial e Comercial da China Ltd (ICBC) é conhecido como o maior banco do mundo e também o maior banco na República Popular da China, junto com o Banco da China, o Banco Agrícola da China e o Banco da Construção Chinês. O valor de mercado da instituição financeira é de US$ 239.5 bilhões de dólares, tornando-o o maior valor de todos os bancos em todo o mundo.

Foi fundado em 1 de janeiro de 1984. Ao final de 2003 ele tinha ativos da ordem de RMB 5.279 bilhões. O banco tem 19.000 filiais com cerca de 2,5 milhões de clientes de negócio e 150 milhões de clientes individuais. Com mais de 100 lojas fora da Ásia, a empresa também atua no exterior. Financiou em janeiro 2012 a entrada da China Three Gorges Corporation na EDP e tem uma representação em Lisboa.

As operações em Hong Kong do banco são enumeradas com o nome de “ICBC Asia”.

Como investir em ações chinesas?

Para investir na China existem algumas restrições. Por isso, este mercado acaba sendo pouco convidativo para os investidores mais inexperientes.

Apesar de possuir algumas das maiores empresas com capital aberto do mundo, a bolsa de valores chinesa pode não ser muito convidativa para nós brasileiros. Afinal, a burocracia para conseguir entrar diretamente nesta bolsa chinesa não facilita em nada no processo. E as corretoras chinesas não oferecem um suporte em português direcionado para os brasileiros (o que ocorre com algumas corretoras americanas). Por isso, é comum o uso de corretoras americanas para esse propósito, pela maior praticidade e acessibilidade.

Os ADRs chineses

Assim, é possível investir em ações chinesas graças aos ADRs. Estes ADRs podem ser definidos como: American depositary receipts. Assim estes recibos funcionam como um certificado de depósito de um valor mobiliário.

Em outras palavras, estes recibos de depósito, representam aqui nos EUA, um valor mobiliário emitido por
companhias de capital aberto, mas com sede no exterior (em geral, os papeis de ações de empresas).

Ou seja, um ADR, não é nada além de uma “ação” negociada aqui na bolsa de valores dos EUA, mas que representa uma empresa de capital aberto com sede em algum outro país estrangeiro.

Assim, os ADRs funcionam exatamente como as BDRs aqui no Brasil. Entretanto, o mercado de ações americano é muito mais maduro. Assim, possui várias opções de ações de diferentes países.

Contudo, é importante lembrar que um ADR é apenas o certificado de compra de ação, o verdadeiro “papel” da empresa fica em custódia da corretora. Por isso, ao investir em BDRs, um investidor não tem os direitos tradicionais de um ativo comum. Então, não se torna ativamente um acionista da companhia, e não possui direito a votos.

A redação do Investir Global já preparou um tutorial de como abrir uma conta americana na corretora Avenue, clique aqui para conferir.

Contudo, temos um post, aqui no IG que explica melhor como você pode usar a bolsa de valores dos EUA para investir no mercado chinês.

Como investir em Ações da China pelo Brasil?

Em geral, as ações estrangeiras estão na bolsa brasileira através, das BDRs, os Brazilian Depositary Receipts. Contudo, existem muitas limitações, e as principais empresas chinesas ainda não possuem a sua respectiva BDR listada em bolsa.

Por isso, recentemente, vimos uma iniciativa que mudou as expectativas dos investidores brasileiros. A XP Investimentos trouxe a opção do ETF XINA11, que traz em sua composição algumas das maiores empresas de tecnologia chinesas.

O XINA11 acompanha o índice MSCI China, que é composto por empresas chinesas de grande e médio porte listadas em todos os mercados incluindo China A-shares, B shares, H-shares, Red Chips, P Chips, e listagens estrangeiras como, por exemplo, ADRs no NYSE.

O índice tem mais de 700 empresas que representam cerca de 85% do universo de empresas chinesas de capital aberto com uma capitalização total de mais de US$ 2,7 trilhões. O setor de maior peso é o de Consumo Discricionário representando mais de 30% do índice, seguido de Serviços de Telecomunicações com peso de cerca de 20% do índice. Em seguida, vem os setores financeiro e de saúde. As 3 empresas com maior participação no índice são: o Alibaba Group, a Tencent Holdings e a Meituan Diaping.

Por fim, confira como você pode investir na bolsa chinesa através da bolsa dos EUA, basta clicar aqui.

Faça parte do melhor grupo de Investidores Globais: clique aqui Para receber as melhores recomendações diárias, siga nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *